Advogado imposto simples impostor...

Advogado imposto simples impostor...

Elias Mattar Assad

         Pior que crimes cometidos nas ruas são aqueles praticados, via de regra impunemente, no interior das repartições públicas. Por mais incrível que possa parecer, falo aqui do crime que se comete contra quem supostamente cometeu crime. Sim, o fato de alguém ter, em princípio, violado uma norma, não autoriza que contra ele se perpetrem outros crimes. Aliás, absurda contradição, a sociedade organizada abrir um código acenando com a violação de um artigo e ela própria, por seus funcionários, violar vários outros sob desculpa de investigar aquele.

            Uma pessoa é levada para uma delegacia e lá exibem, para a “fera abatida”, todas as supostas provas  contra ela, dando a entender que chegou o “fim da linha”. Correto seria autuá-la em flagrante delito (fosse o caso) assegurando-lha comunicação com a família e advogado.

            Evidentemente que uma das primeiras reações, da pessoa detida, é  procurar esconder da família a vergonhosa situação na qual se embrenhou e, quanto ao advogado, vai aparecer uma pessoa, “fantasiada de amiga”, dizendo que conhece um que resolveria imediatamente o problema. Até aí tudo normal, não fosse a pessoa “amiga” e o “advogado” (vez por outra é alguém de terno se passando por um) já estarem com tudo previamente acertado. Montado o “teatrinho”, entra em cena o “doutor advogado” IMPOSTO, que começa por dizer ser o crime imputado o “mais grave do mundo” e que  pelas vias legais a pessoa ficaria presa por muito tempo até um juiz apreciar o pedido de liberdade. Acena também com o fato de poder ser “detonada” a imagem nos meios de comunicação. Diante desse bombardeio de “péssimas notícias”, quase a ponto de cometer suicídio, o detido perguntará qual o custo para resolução do problema e terá como resposta algo mais ou menos assim: “custará tudo o que você tem e mais uma dívida de outro tanto...” Começam assim os lances do  leilão do sistema!

            A prisão pode ser legal ou ilegal, mas a liberdade deve ser sempre pela via legal. Caso contrário, o crime que se comete nas ruas perderá, em potencial ofensivo, para os que se cometem nas repartições oficiais contra o “investigado”, que se transmuda em espécie de “refém”, com “cativeiro oficial” e “resgate legal”.

            Uma sugestão para a OAB é campanha conscientizadora das famílias, pela importância de jamais optar por essa criminosa forma de resolução de problemas. Título da campanha: “ADVOGADO IMPOSTO É UM IMPOSTOR!”. Afinal, qualquer dos constantes do catálogo telefônico faria melhor que aquele imposto e “endividado” com a polícia, sem necessidade de cometer novos e covardes delitos contra indefesos aprisionados ou de acobertá-los... 

(escrita em 2005)

Localização

Rua Campos Sales, 771 - Juvevê - 80.030-230 - Curitiba | PR.

veja no mapa

Atendimento

De Segunda à Sexta das
8h30 - 18h00

Plantão 24h (todos os dias)

Contato

Fones: 41. 3014-3112 / 9972-8373 Plantão 24h

As imagens exibidas são meramente ilustrativas. Todos os direitos reservados. Powered By Totalize Internet Studio.